Promessa de campanha: uma linguiça e uma tesoura

Uma linguiça e uma tesoura

Está rolando por aí um vídeo de uma candidata que corta uma linguiça dizendo que com ela estupradores não terão chance...

"Se você estupra sua filha, seu filho, sua neta, a sua sobrinha, aquelas meninas da sua rua… no meu mandato você vai pra cadeia e quem tentar te proteger vai junto como cúmplice.”

Alguns diriam…

Ah, mas se denunciar vai acabar com a vida dele.

Ah, vai destruir a família.

"Então serão presos todos juntos pra terem muita convivência em família."

No meu mandato, a vida da vítima será mais importante do que a do agressor, não importa se você tem dinheiro, se é dono ou filho do dono de uma das maiores redes de lojas do país, se é famoso ou se tem muitos fiéis na sua igreja. Vai em cana! E ai de quem mexer com funcionárias e colegas de trabalho… me aguardem!

Chega de achar que que ele só “passou a mão na neta” ou “não se segurou”.

No meu mandato vocês vão aprender na escola o que é desigualdade de gênero e porque homens que podem ter sexo no momento em que decidirem, estupram. Sabem por que? Eles não querem sexo, eles querem agredir! Quem estupra não queria fazer sexo e não conseguiu se segurar — eles querem humilhar, usar a mulher e as crianças como coisas, como objetos. Por isso a castração química não tem sentido.

Primeiro porque tem que prender só que ninguém acredita nas vítimas, ou ficam protegendo o cara pra não “estragar” a vida dele, afinal ele é da família. 99% dos casos denunciados não são investigados e apenas 10% são denunciados o que já soma em média 60mil casos por ano, a maioria contra crianças e adolescentes. Alem de prender precisaríamos de avaliação médica e psicológica e acompanhamento… kkkk não em como não rir.

Depois porque qualquer pessoa que estude o assunto sabe que homens estupram com ferro, madeira, armas, eles não querem sexo gente, eles querem humilhar e subjugar. Não é o que ele tem entre as pernas que faz ele estuprar, não é o desejo sexual que faz ele querer ver uma mulher desesperada, chorando, apavorada. (esse tipo de castração é usada em lugares onde ninguém toca outra pessoa sem consentimento explícito sob pretexto nenhum)

Um argumento de algumas pessoas que defendem a castração química sem ter noção das implicações reais de uma política assim, afirma que os homens parariam de abusar sexualmente por medo. Taí, esse é o único argumento que me parece válido, afinal o pênis não subir é talvez um dos maiores medos dos brasileiros. Só que se eles não tem medo de serem presos, isso não tem sentido, infelizmente não tem como fazer nada sem acreditar na vítima, investigar e prender pra então punir.

Alguém razoável fica animado pra transar quando percebe que a parceria não está afim? Não né! Quando nosso par não tá muito afim, não tem graça nenhuma.

Porque estupro não é transar, estupro é agressão, estupro é crime. Parem de achar que quem estupra é tarado que não consegue se controlar, eles escolhem as vítimas, geralmente crianças e adolescentes porque eles vão se achar “os caras”. Olhem essas mensagens:

“minha filha de 11 anos foi estuprada pelo tio, fiquei desesperada quando descobri, a família está contra mim porque quero denunciar, estão todos me pressionando”

“Fui numa festa na mansão de um dos maiores advogados do país. O filho dele era o anfitrião e nos ofereceu as bebidas. Acordei numa cama nua ao lado dele com sinais de que ele havia me estuprado. Em nenhum momento houve indícios de qualquer afinidade, eu certamente fui drogada porque passei mal na sequência, como posso fazer algo se ele tem esse pai e sou de uma família simples?”

Alguém vai acreditar? Sabiam que ela teria que pagar um exame toxicológico do bolso que custa uns 900 reais pra poder comprovar que foi dopada? Já vi vítima desistir por isso.

“Tenho 15 anos e um dia o líder do meu grupo religioso me chamou pra casa dele, ele e a esposa disseram que eu estava com um problema espiritual e iam fazer uma reza especial pra mim. Fiquei muito feliz mas lá ela disse pra eu tirar toda a roupa e ele me estuprou na frente dela. Eu não consegui me mexer nem dizer nada. Saí de lá correndo, contei pro meu namorado, ele disse que aconteceu a mesma coisa com ele. Contamos pros nossos pais que expulsaram ele de casa. Os meus nos acolheram. Todos frequentam a igreja há anos e admiram ele muito. Não sei o que fazer”

“Meu pai abusou de mim dos 5 aos 10 anos”

“Meu avô me dava dinheiro quando era criança pra que eu sentasse pelada no colo dele”

“Meu sonho era ser militar, fui estuprada por um colega durante uma festa na escola da aeronáutica. Testemunhas viram ele me arrastar pro banheiro enquanto eu gritava e denunciaram a situação. Depois de ser julgada em um tribunal interno só com homens onde eu apenas chorei sem parar, sofri uma suspensão, de 20 dias, pra ele deram 10.”

O padre, o pastor, o pai de santo, o guru do meu grupo, o “terapeuta” tântrico, o policial, o diretor do museu, o médico… O estupro une homens de todas as crenças, status social, profissões. Por isso ele não acabada.

Atenção a homens poderosos. Poder e abuso de poder andam próximos e estupro está muito relacionado com se sentir poderoso, com obrigar as pessoas a “fazer o eu quero já que sou admirado e querido e por isso sairei impune”.

Homens que agridem e estupram são sedutores sociais, eles não estupram todas as mulheres que conhecem, eles escolhem as vítimas. Eles não batem em todas as mulheres mas na esposa dentro de casa. Assim, se alguém tiver coragem de denunciar, ninguém vai acreditar ou no mínimo terá muita gente pra depor que ele é “uma excelente pessoa” que ajuda todo mundo. “Ele nunca colocou a mão em mim” como se isso o impedisse de fazer algo com outra pessoa.

Gravem isso: sedutores sociais. Cheios de amigos, pessoas que alegariam sua índole maravilhosa, muitos fiéis da igreja que o admiram e quando surge um caso “ela quer destruir a vida dele”. Ainda hoje tem gente defendendo o “João do demo”.

Como se mulheres ganhassem algo denunciando um estuprador além da desconfiança e da fama de vagabunda, que não sabe se cuidar. "Ah mas tem denúncias que são mentira" — de 600 mil casos no ano, quantas? Pesquisa antes de responder.

No meu mandato nós vamos crescer, porque chegou a hora de encarar esse problema como adultos, sem ficar protegendo homem rico que se acha o dono do mundo e do corpo das mulheres.

Vamos estudar sexualidade em todos os períodos escolares pra aprender o que é nosso corpo, como o desejo surge e a diferença disso pra agressão, assim a escola se tornará ainda mais o refúgio das crianças brasileiras que sofrem violência porque em sua maioria são estupradas por pais e parentes muito próximos.

Nós vamos também acolher as pessoas que denunciam, inclusive com casas de abrigo porque não se enganem, um homem que obriga alguém a ter relações com ele não é confiável, ele não sabe respeitar pessoas.

O atendimento tem que mudar, nós chamamos a ida à delegacia de segundo estudo porque as vítimas geralmente são tratadas como criminosas, é um horror!

Precisamos informar corretamente: Vítimas não precisam ir a delegacia, elas devem ir ao hospital assim que possível! Qualquer hospital pode atendê-las apenas com o relato pessoal da violência e quanto antes melhor para receberem a medicação adequada.

Você conhece 50 mulheres? Então você conhece em média 49 que já foram assediadas e 20 que já foram estupradas. Quantos estupradores vc conhece? Reflita.

Quando um anestesista estupra uma grávida na hora do parto ou uma menina de 11 anos fica grávida pela segunda vez por estupro muita gente se choca, mas se você se interessar um pouco pelo tema da violência sexual nesse país e acompanhar os dados e as notícias, infelizmente você não vai se chocar. Então estude mais e contribua pra mudar essa realidade: chega de piadas machistas, chega de cantadas escrotas, chega de traições, chega de acobertar o coleguinha, chega de desconfiar das mulheres e se identificar com os caras. Chega de grupo de putaria no zap, chega de dar opinião sem pesquisar.

Quer uma proposta séria de governo pra acabar com estupro e violência sexual? Tá aqui:

  • Educação sexual e de gênero nas escolas, em todos os anos escolares, especialmente pra para meninos e homens;
  • Educação de agentes públicos para acolhimento e atendimento à vítimas;
  • Programa estruturado e nacional e acolhimento à vítimas;
  • Organização das delegacias e de horários de atendimento, muitas funcionam só em horário comercial;
  • Investigação prioritária e punição exemplar;
  • Exigência de plano de ação contra a violência e exploração sexual pelas empresas, especialmente as que têm impacto em localidades;
  • Inclusão de igualdade de gênero e combate a violência no ESG das empresas, além de treinamento contra assédio sexual — também para a alta liderança;
  • Campanhas nacionais de conscientização sobre violência sexual, consenso e relações saudáveis.

Vamos construir juntos a equidade e o respeito que a gente merece.

Vote em mim!

*Infelizmente a candidata em questão não fala nada disso, mas eu ficaria muito feliz se isso não fosse um texto de ficção!

#masculinidadesaudável #generoesexualidade #igualdaddegenero #genero #feminismo #machismo #masculinidade #acolhimento #segurançapsicológica #relaçõessaudáveis #meetoo #violênciasexual #estupro #eleicoes2022 #campanha

--

--

🎤 apresentadora 🎬 treinadora de comunicação e oratória 👭trabalho para a liberdade e erradicação da violência sexual linktr.ee/sheylli

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Sheylli Caleffi

Sheylli Caleffi

589 Followers

🎤 apresentadora 🎬 treinadora de comunicação e oratória 👭trabalho para a liberdade e erradicação da violência sexual linktr.ee/sheylli